conteúdo da página

26 de jul de 2016

Um mês com Beatriz

Sobrevivi para contar!!

Hoje venho compartilhar como foi o mês mais intenso da minha vida. O mês que foi marcado por sensações inexplicáveis. Pelo maior amor do mundo, pela felicidade que não cabe no peito e pela gratidão diária, mas ao mesmo tempo por muito choro, medo e cansaço!

A Beatriz foi o sonho mais lindo da minha vida. Vocês acompanharam o tamanho da minha felicidade durante toda a gestação e ter ela aqui comigo é mais maravilhoso do que eu poderia imaginar.

Me preparei os nove meses.  
Achava que estava pronta e ia tirar de letra ser mãe, mas não foi tão fácil assim.

Quando estava ainda no hospital eu olhava para Beatriz e pensava, e agora o que tenho que fazer? Sou a mãe dela ela depende de mim. Que horas eu devo dar mama? Que horas eu devo trocar a fralda? Antes dúvidas que pareciam tão simples de resolver, agora eu nem sabia por onde começar.

Um bebê demanda muito da mãe, afinal ele acabou de chegar ao mundo e é tudo novidade, do mesmo modo para a mãe, que também é obrigada a deixar de lado a vida que tinha antes para ficar 24 horas em função do bebê.

Mesmo me preparando 9 meses e organizando tudo para que eu ficasse disponível 24 horas para a Bia eu senti falta de ter uma vida normal, de sair de casa e fazer coisas que sempre gostei de fazer.
Nesse primeiro mês foi praticamente impossível ter tempo pra mim, mesmo com toda a ajuda que eu tive da minha mãe, irmã, sogra e cunhada. O bebê precisa da mãe!

Os horários que ela estava dormindo e eu poderia fazer algo pra mim eu tinha que dormir para descansar e produzir leite.
A amamentação foi mais difícil do que eu pensava e depois conto tudo pra vocês como fiz pra superar as dores e poder dar mama como sempre sonhei.

Eu sempre fui muito organizada, gosto de ter rotina e horários pra tudo. Não preciso dizer que o primeiro mês foi impossível ser organizada.
Eu ficava ansiosa porque não sabia que horas ela ia dormir, que horas ela ia mamar, nem que horas eu ia comer, tomar banho ou pelo menos tirar o pijama.
O maior erro foi achar que eu daria conta de tudo e ficar desejando fazer outras coisa ao invés de entender que esse mês era o mês da Bia, que eu ia ter o resto da vida pra fazer as outras coisas.
Depois que entendi isso tudo fluiu melhor.
Uma vez li um texto que fala exatamente sobre essa insistência de querer dar conta de tudo e não pedir ajuda. Ele abriu meus olhos. Quem se interessa vale muito a pena a leitura:


A primeira semana em casa foi uma beleza. Nem parecia que tinha bebê.
Minha mãe ficou comigo o dia todo e eu conseguia tomar banho de manhã, me arrumar e até fazer maquiagem. A noite ela dormia super bem e eu estava dando conta e não ficava tão cansada durante o dia.
Na segunda semana ela já começou a dormir menos, a mamar mais e meus seios doíam muito. Misturou o cansaço das noites mal dormidas e as dores da amamentação para me deixar ainda mais emotiva e assim foi até o final do mês.
Quando ela completou um mês e 1 semana tudo começou a entrar nos eixos.

Hoje eu já tenho mais controle da situação. Sei o que fazer com ela quando ela chora, consigo entender o choro.
 Sei que ela mama de 2 em 2 horas e tira duas sonecas por dia, assim posso deixar ela com o pai durante as sonecas e ir fazer algo pra mim, o que já fez total diferença na minha vida.

Apesar de todo esse começo cansativo de aprendizado e adaptação a sensação de ser mãe é indescritível. É a coisa mais maravilhosa do mundo ter ela em meus braços. E por mais que eu queira ajuda, eu não quero me separar dela. 
Apesar de todo o cansaço, quando ela dorme fico com vontade de tirar ela do berço e pegar no colo de novo. De cheirar o pescocinho toda hora(o cheiro dela é o melhor do mundo) e encher a barriguinha de beijos quando troco a fralda.
Cada dia é uma coisa diferente. É muito gostoso ver a evolução dela dia após dia, ficando mais bochechuda, os olhinhos mais atentos, e dando os primeiros sorrisinhos de verdade durante o dia.

Estou transformada, sou outra pessoa. Sou mãe. Mãe da Beatriz, o bem mais precioso da minha vida.
Ela que fez eu ser uma pessoa ainda melhor, mais forte e determinada para protege-la para sempre!
Ser mãe é MARAVILHOSO, vale a pena cada momento de desespero, cada choro, cada noite mal dormida, vale a pena tudo.



Beatriz ♥ 1 mês

33 comentários:

  1. Que emoção! não vejo a hora de passar por isso, o meu logo logo esta por ai, estou com 35 semanas, beijos Josy!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiii que legal!! Aproveite cada dia porque vai sentir saudade do barrigão.. Beijoss

      Excluir
  2. Josy...

    Meu bebê fez 15 dias de vida hoje. E sinceramente, concordo com tudo. Exaustão é a palavra que define tudo, misturada com desespero, insegurança e fraqueza. Me sinto fraca hoje. A parte da amamentação então nem se fala. Tem hora que penso em desistir de tanto cansaço e solidão. Porque amamentar é sofrido no meu caso. Dói e como dói (abro um berreiro) Mas aí olho pra carinha dele e penso: “vamos lá, mais um dia, não desista”. E assim vou indo. Um passo de cada vez. Amo demais meu pequeno.

    Bruna mamãe do Pietro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Bruna, NÃO DESISTA, isso passa.. Parece uma eternidade, mas passa! Eu tambem amamentava chorando, uma dor insuportável, mas fazemos pelo bem do nosso bebe, se eu tivesse desistido teria me arrependido. O que me ajudou foi colocar o peito no sol. Eu passava leite do peito no bico e depois ia pro sol, tentava fazer isso toda vez que ela dormia. se fosse o sol forte ficava menos tempo, ajudou a cicatrizar, mas mesmo assim demorou porque ela mama muito e toda vez amolecia o machucado (meu bico virou uma casca) mas com o tempo foi melhorando por causa do sol... Aguenta firme ai que tudo isso é normal, garanto que vai melhorar, apesar de vc achar que nunca vai ter uma vida normal de novo, rsrs.. Aguenta ai, qualquer coisa me chama.. beijooos

      Excluir
  3. Semana que vem vou viver essa experiência, é um misto de vontade de ter meu pequeno nos braços, com uma vontade oposta de postergar essa vivência por mais uns meses, não me sinto preparada, já esqueci tudo que li, nem consigo imaginar a minha reação ao ver esse pequeno nos meus braços, mamando e chorando! e eu perdida rsrs
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkk Que delicia!! Não tenha medo, apesar de todo cansaço, ter nosso bebe nos braços é a coisa mais maravilhosa do mundo. Não se preocupe por não se sentir preparada, eu me sentia preparada mas não adiantou de nada kkkkk E o que lemos na internet nem sempre é o correto na prática.. Não se prenda a isso, sinta o seu bebê, é a melhor coisa.. Qualquer duvida me chama aqui, vou adorar ajudar.. beijoss

      Excluir
  4. Oi, Josi o que eu posso dizer é que o começo em geral é bem cansativo, mas passa!

    Fique tranquila, quanto mais calma você estiver, mais calmo também ficará o bebê. E no fim dá tudo certo! Eles crescem tão rápido que a gente tem mais é que viver intensamente cada dia!


    Grande beijo, espero vê-la sempre por aqui!


    Nivea
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Nivea, obrigadaa! Já está passando, está bem melhor agora, ainda é cansativo, mas sei que vai passar!! Um beijo

      Excluir
  5. ufaa, achei que fosse só eu que pensasse assim, me vi nesse post. Li A armadilha da “mulher maravilha” e a cada momento estava quase surtando com o pensamento: "Meu Deus, o texto dizia isso… estou fazendo tudo errado!" não é fácil ser mãe de primeira viagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, mas diz que no segundo filho é igual kkkkkk porque dai tem todas aquelas alterações de hormonios e mais um bebe maiorzinho pra cuidar.. kkk acho que ser mãe é o trabalho mas dificil do mundo, mas o mais recompensador..beijoss

      Excluir
  6. Josy, sei exatamente e revivi o que você escreveu

    Praticamente fui mãe solteira à noite eu não tinha ajuda de ninguém era somente eu e aquela coisa pequenina que não parava de chorar, creio com muita fé que as depressões pós partos são claramente motivadas pela falta de sono e descanso.
    Minha única fiel companheira foi o livro da Encantadora de Bebês e se não fosse por ela, acho que teria cometido um homicidio seguido de suicídio. Usei o livro como uma arma bélica a ferro e fogo, pois os primeiros 2 ou 3 meses é mais do que punk, foi padecer no inferno, saber que é sua filha e não conseguir ficar perto (o racional x o emocional), mas nada como o sagrado tempo para crescer o amor e compreensão. Digo que aos 5 meses minha filha já dormia sozinha, colocava no berço, chupeta, dava um beijo na testa e dizia – Agora é hora de você dormir, boa noite e até amanhã, mamãe te ama! Mas a melhor forma de dizer que esta indo bem é o ganho de peso e o olhar do bebê. Hoje tenho outro pequeno de 2 meses, e digo com muita convicção – o segundo é sempre mais fácil, já que nosso sono nunca mais é o mesmo, então acordar de madrugada é muito fácil (pelo menos pra mim) e mais através desse livro minha filha só recebe elogios, pois é uma menina muito tranquila que quase nunca dá trabalho aos 6 anos. Beijo e adoro seu blog, não some! posta pra gente o desenvolbimento da Bia

    ResponderExcluir
  7. Ain Josy, essa é ultima foto da Bia com a ursinha é muito foca, ursinha maior que ela rsrs linda, amei!!!

    ResponderExcluir
  8. A Beatriz é uma fofa! o olhinho dela é azul? Vc já fez ensaio de acompanhamento pra ela??

    beijos


    Eliza

    ResponderExcluir
  9. Adorei... lendo eu fiquei lembrando do primeiro mês de vida do meu filho...
    Realmente TODA ajuda é mais que bem vinda!!!

    ResponderExcluir
  10. O primeiro mês é realmente barra, não só pelo cansaço, mas por toda essa nova vida de mãe, essa nova rotina que desconhecemos totalmente. E ainda tem o bebê, esse serzinho tão lindo mas que é um desconhecido! Temos que aprender tudo sobre ele, manias, gostos….enfim, tudo é cansativo e desgastante.

    Mas como vc mesmo disse, isso passa, como todas as outras fases passarão também, tenho 2 meninos, um com 2 e outro com 4 anos e tudo está uma delícia! Na verdade já estou planejando outro (na verdade outra pois sonho com uma menininha desde minha 1a gestação)…

    Parabéns pelo seu blog!

    Joana Lacerda

    ResponderExcluir
  11. Lendo vc, revivi toda uma fase!!!
    O primeiro mês é extenso, intenso e de muitas descobertas!
    Adorei suas dicas, muito úteis pra quem vai se iniciar nesse processo.

    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Olá! Foi bom ler o post e sentir que não sou a única descabelada com um recém-nascido. Minha bebê faz 1 mês daqui 2 dias e eu tenho contados os dias... tudo tem sido muito difícil e minha mae só ficou comigo por 12 dias... Estou exausta, insegura e igual um passarinho preso (q vontade de ver a rua!).

    ResponderExcluir
  13. Menina lendo me lembrei de tudo que passei com a laura e é bem assim mas com o passar dos dias você vai adquirir confiança e experiência e tudo vai melhorar.

    Não some!


    bjs

    ResponderExcluir
  14. Parabéns pelaBia. Ela está muito linda!!!
    Estou gravida de 15 semanas e estou aqui curtindo as ansiedades desta fase: descobrir o sexo, barriguinha querendo aparecer...
    Como já queria engravidar já estava acompanhando seus post com muita atenção. Fico no aguardo e expectativa dos próximos. Sei que vai ser meio complicado devido a sua adaptação a nova vida de mamãe.
    Que Deus abençoe sua família.
    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Josi! É interessante ver que bebês apesar de não terem manual, seguem um padrão comum de enlouquecimento dos pais no primeiro mês. Mas digo... tudo isso vai passar!

    Tenho uma filha que em 3 semanas fará 2 aninhos e digo: eu achei que nunca mais teria vida no 1o mês dela! Sério, lembro que fui fazer um exame da orelhinha no posto, e anoiteceu quando voltamos. Eu tinha uma vida ativa no quesito passear e vendo as pessoas, chorei compulsivamente. Meu marido no 1o mês achamos melhor eu ficar com meus pais e ele nos pais dele] não entendeu nada, depois eu só soltei: então eu NUNCA mais vou sair sem me preocupar como essas pessoas? Ninguém na rua tem filho?... tadinho, ele não sabia o que me explicar.

    Ele também sofreu e MUITO com a questão "tempo a dois" pq eu não tinha como sair, nem pra ir a esquina. E não tinha disposição pra conversar nem pra beijar, abraçar, dar carinho. Ele se sentiu abandonado a ponto de achar que eu estava largando e deixando de amá-lo.

    Mas como disse, tudo isso passa. A partir de 2o mês foi como um divisor de águas. Mariana começou a dormir melhor a noite, a mamar melhor, a demonstrar "reconhecimento" com sorrisinhos. Aí o tempo reaparece e o amor só cresce!

    Eu confesso que se vc não tiver esforço, será dificil voltar a vaidade normal. Eu não consegui ainda. Pq me divido entre cuidar da casa, trabalhar, cuidar da filha e do marido e ainda cuidar de mim... ufa! Mariana fica só em período parcial na creche, que graças a Deus confio de olhos fechados!


    E quando precisávamos sair, de verdade? Levávamos ela no bebê conforto! E ela dormia logo e pronto, dava pra aproveitar um pouquinho. Hoje damos preferência a fazer coisas em casa e é uma delícia, pq ela curte com a gente! Quando saímos também curte conosco, quando viajamos, etc... ela é nossa companheirinha!


    Uma dica que te dou é: rotina! Rotina pra tudo do bebê! Especialmente para dormir. Mariana choraaaaaaaava de se esgoelar e dormia comigo na cama. E quem não dormia era eu no fim, pq ficava com medo de machucar ela, etc. Aí começamos a montar uma rotina. Ela tinha 3 meses e eu estava acabada!!! Quando caía a noite era certo: luzes mais apagadas, vozes baixas, banho quentinho com chá de camomila, cantar as mesmas musiquinhas, pijaminha, e pronto... dormia a noite toda! Só acordava ás 5h pra mamar.


    Mentalize sempre: isso vai passar. E quando passar, vc sentirá saudade! Ainda que sempre apareça uma fase gostosa... tudo com prós e contras.



    Evelyn Mata

    ResponderExcluir
  16. Oi Josy!


    Nossa, lendo seu relato pensei: "Puxa vida, é assim mesmo... como nossa vida muda após um filho!".
    Qdo estava grávida, li de td e mais um pouco, livros, blogs, relatos de mães e td mais e só vivendo é que podemos de fato experienciar o que é ser mãe.
    Assim como vc, oq mais sinto falta são dos cuidados de beleza e do momento de intimidade como casal (ver um filminho, tomar um bom vinho ou espumante, ir a um bom restaurante, cinema... enfim...), mas como vc mesmo disse, td isso vale a pena 1000x!!!

    Vamos nos readaptando e moldando como casal com o bebê e descobrimos outras coisas mais e como fortalece nosso amor como marido e mulher, já que somos responsáveis por aquele bebezinho e em proporcionar bem estar a ele. Mas que cansa e como cansa e, como muda a vida, isso não há como negar!

    ResponderExcluir
  17. Nossa josy.... estou encantada com vc e sua família.


    Parabéns que Deus abençoe sempre!!!

    ResponderExcluir
  18. Pra mim foi o mês mais dificil, porem o mais prazeroso!

    Boa sorte Josy

    Bjs

    Luana

    ResponderExcluir
  19. Que lindo esse relato Josy, parabéns pela excelente mãe que vc é, te acompanho no snap e no insta e sempre estou vendo as fotinhos fofas da Bia, vc é muito dedicada, ela é uma boneca!

    Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  20. Que fotos fofas! deu saudades da epoca que meu menino era pequeno assim, quem sabe encomendo uma menininha agora hahahaa #marido me mata

    Beijão Linda



    Juliana

    ResponderExcluir
  21. Lindo e emocionante!

    ResponderExcluir
  22. Uau! Passei exatamente por isso nas primeiras semanas. A minha pequenita tem três meses e ou é ela que anda mais calma ou sou eu que já me habituei à grande reviravolta que a minha vida levou.
    Mesmo assim todas as noites caio na cama completamente cansada e adormeço a dar de mamar à minha filhota. :) E não há nada melhor que isso.

    ResponderExcluir
  23. Eu tinha lido esse relato na lista, e adorei ler aqui de novo!

    Esses primeiros dias não são fáceis, e duvido muito de quem diz que tirou de letra!

    Realmente, apoio da família e do marido é tudo!

    ResponderExcluir
  24. Que lindo, Kate! Adoro ver um post novo aqui!
    Uma amiga minha teve um bebê há dois anos atrás e lendo o seu relato, parecia estar ouvindo novamente tudo o que essa amiga contou sobre o primeiro mês do bebê. Ela não esperava que pudesse dar tanto trabalho! Nos primeiros três meses ela ficou louca com as mamadas da madrugada, com as cólicas (que o bebê dela teve), os choros desesperados do bebê que rla ainda não conseguia decifrar. .. mas ao mesmo tempo, o amor que nunca pensou que pudesse sentir tão forte por alguém!
    Desejo que Deus ilumine sempre você e sua família! Parabéns pois mesmo exausta como vc disse estar se sentindo, está sempre linda e disposta a compartilhar essas dicas tão preciosas para quem tem ainda menos experiência que você (como eu, que também quero ser mãe daqui a algum tempo!) e até mesmo para aquelas mais experientes, afinal toda informação é sempre muito bem vinda!
    Beijos e fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
  25. Que lindo, quanto amor nessa familia! Não some, quero acompanhar passo a passo a vida desa bonequinha linda que é a Bia

    Beijos grande

    ResponderExcluir
  26. Josy, vi as fotos do seu ensaio! que lindo, me emocionei, pois venho acompanhando sua gravidez pelo blog e face, familia linda que deus te deu! vc é abençoada, parabéns!


    Joyce

    ResponderExcluir
  27. Lindas vcs 2! ela é a cara do seu marido srsrsrrs

    ResponderExcluir
  28. Que bebe mais fofa ,familia linda,que DEUS abençoe muito!

    ResponderExcluir